terça-feira, junho 10, 2008

Pújá

Guru Pújá.

Anoitece... e na madrugada profunda ouço um rio,

um rio enluarado como o brilho dos seus olhos;

olhos que se abrem como as pétalas de uma rosa:

uma flor que exala luz, calor e proteção,

envolvendo aqueles que têm asas para voar.

Amanhece... e no azul iluminado vejo um lago,

um lago cristalino como a pureza das suas palavras;

palavras de poder que construíram um palácio:

uma fortaleza onde foi plantado um jardim,

um jardim de sol, pássaros e infinito.

O lago gera o rio que alimenta as montanhas

que se entrega ao mar que se espalha em nuvens

e que retorna, em chuva, ao lago.

Tudo se refaz em sementes, flores, frutos e em novos jardins;

e tudo se perpetua vivo como a força do amor que nos une.

Para você, Arquiteto do meu palácio,

que ilumina todos os dias e noites do lago,

e que habita na eternidade do aqui e do agora,

para sempre,

dentro do meu coração.

Mestre Sérgio Santos

Lake Palace, Udaipur, Índia, 1995.

Dedicado ao meu Mestre DeRose.

Um comentário:

Ká (Itajaí) disse...

Oi querido!
Passando para conhecer o blog :)

Adoro essa mensagem, bela escolha!

E parabéns novamente pelo internacional =DDD

Beijão, boa semanaaa :***